Manual de Procedimentos para a Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo

Introdução

O Sistema de Prevenção Integral adotado pela Delta Servicios Financeiros (Centro Sudamericano SA), contido neste Manual, aprovado por uma resolução da Diretoria de 12 de maio de 2009 e emendas subsequentes, inclui políticas e procedimentos de prevenção e controle, bem como as estruturas orgânicas estabelecidas pela Companhia, a fim de impedir seu uso em manobras destinadas a legitimar ativos de atividades criminosas, o financiamento do terrorismo e o financiamento da proliferação de armas de destruição em massa (LA / FT / FP).

Nesse sentido, o Conselho de Administração da Delta Servicios Financieros (Centro Sudamericano S.A.) adotou a Declaração de Princípios estabelecida abaixo, como um sinal do alto grau de comprometimento dos mais altos níveis de condução da empresa nas tarefas de prevenção.

Declaração de Princípios

“A Delta Servicios Financeiros (Centro Sudamericano SA) decidiu adaptar e atualizar seu Sistema de Prevenção contra Lavagem de Dinheiro, Financiamento ao Terrorismo e Proliferação de Armas de Destruição Maciça, devido às mudanças ocorridas na legislação nacional, bem como os observados no campo internacional. Com isso, a Delta Servicios Financieros (Centro Sudamericano SA) expressa sua firme convicção de que as políticas adotadas reduzirão os riscos da empresa ser utilizada em manobras para fins criminais e podem contribuir para os esforços dos órgãos reguladores e de aplicação da lei na luta contra os aspectos monetários e econômicos do crime e do terrorismo.

Por esse motivo, a Delta Servicios Financieros (Centro Sudamericano S.A) adotou um sistema abrangente de prevenção contra esse tipo de flagelo, que inclui, entre outros:

• Procedimentos rigorosos de identificação e conhecimento de clientes (KYC)
• Políticas formais e escritas para prevenção de lavagem de dinheiro, financiamento terrorista e financiamento da proliferação de armas de destruição em massa
• Nomeação de uma anti-lavagem responsável, selecionada entre seus gerentes seniores (Compliance Officer)
• Sistemas de monitoramento e revisão periódica de transações
• Programas permanentes de treinamento e atualização para seus funcionários e funcionários
• Auditoria externa anual para avaliar o sistema de prevenção implementado.

A luta contra a lavagem de dinheiro, o financiamento de atividades terroristas e o financiamento da proliferação de armas de destruição em massa é uma prioridade em nossa organização e nenhuma utilidade ou fonte de negócios pode ser justificada se correr o risco de ajudar aqueles Eles pretendem usar nossos serviços para transações com ativos de origem ou destino ilícitos.

Nosso compromisso ético implica, ao mesmo tempo em que colaboramos na luta contra os crimes mencionados, reconhecer que nossa empresa opera dentro da estrutura da autorização recebida, cujo objetivo é a geração de lucros por meios legais e que seus funcionários e clientes se ajustem suas atividades sob a lei e os regulamentos em vigor.

A eficácia do Sistema de Prevenção adotado dependerá, fundamentalmente, do grau de colaboração de todo o pessoal da empresa e de sua convicção em relação à necessidade e conveniência de sua aplicação. Isso requer não apenas o conhecimento das normas internas implementadas como parte dela, mas sua disposição permanente para estar alerta a possíveis manobras de lavagem de dinheiro, o financiamento de atividades terroristas ou o financiamento da proliferação de armas de destruição em massa. .
A Diretoria está ciente de que nada pode substituir o funcionário perspicaz e conhecedor de sua atividade e está disposto a dar o exemplo de sua decisão de evitar manobras criminais.

Sem prejuízo das políticas, procedimentos e controles contidos neste Sistema de Prevenção, o elemento básico para impedir que nossa empresa seja usada em manobras ilegais é o conhecimento de que cada funcionário deve ter, sob sua responsabilidade específica, sua própria atividade e da clientela.

Esse conhecimento não deve se limitar a aspectos puramente formais, mas deve ser estendido à compreensão da natureza de seus negócios e traduzido em uma avaliação permanente da razoabilidade das operações que nossos clientes realizam.

O cumprimento estrito das tarefas de prevenção designadas a cada um de nossos funcionários será uma condição imperdoável para a preservação do trabalho e qualquer desvio, se não consistir em violação ou ofensa formal, será sancionado administrativamente. Por esses motivos e para a consecução desses propósitos, solicitamos a colaboração mais ampla de todos os nossos funcionários. ”

Montevideo, 21 de Octubre de 2014

Sra. Ana María Rumi                                                                                 Sr. Rafael Barbieri Rumi

Presidente                                                                                                  Vicepresidente

Objetivos

El Sistema adoptado por Delta Servicios Financieros (Centro Sudamericano S.A.) tiene como finalidad:

Establecer políticas y procedimientos de prevención y control que aseguren el cabal cumplimiento de las normas y regulaciones vigentes.
Asegurar a los clientes que la empresa aplica las mejores prácticas de prevención, en concordancia con las normas nacionales y principales estándares internacionales.
Aplicar una política de Debida Diligencia del Cliente que permita, conocer el beneficiario efectivo de las transacciones y el origen los fondos que maneja.
Implementar políticas y procedimientos respecto del personal de la Empresa que aseguren un alto nivel de integridad del mismo, así como su continúa capacitación y entrenamiento en prevención del LA y de la FT.

Mantener un respaldo documental adecuado, que posibilite la reconstrucción de las operaciones en los términos de la legislación vigente.
Reportar oportunamente a la Unidad de Información y Análisis Financiero (en adelante UIAF) del BCU, las transacciones inusuales o sospechosas, en los términos del artículo 1º de la Ley 17.835 y de la reglamentación emitida por el BCU (art. 422.17 R.N.R.C.S.F. y Comunicación No. 2005/044).
Cumplir con la obligación de informar a la UIAF si se verifica la existencia de activos vinculados con terroristas u organizaciones terroristas, en los términos del artículo 17 de la Ley 17.835 y artículo 422.18 de la R.N.R.C.S.F.

Download Manual de Procedimentos para a Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo

Código de Conduta do Pessoal

O Código de Conduta que a instituição possui é desenvolvido com base nas disposições legais, regulamentares e no contexto do Sistema de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Financiamento ao Terrorismo da Delta Financial Services, no qual a Instituição, seus diretores e Todos os seus funcionários orientam suas ações. Baseia-se nos seguintes princípios institucionais:

Respeito: nossa organização opera com base no respeito e compromisso com toda a organização e seus membros, clientes, fornecedores e
sociedade como um todo.

Integridade: nossa organização exige que seu pessoal desenvolva suas atividades com honestidade, sinceridade e credibilidade.

Profissionalismo: nossa organização pretende para seus funcionários um desempenho profissional de acordo com sua função, a fim de proporcionar
Serviço eficiente aos clientes e qualidade superior.

Sustentabilidade: O conselho e a equipe de nossa organização visam gerar um desenvolvimento sustentável da organização e através dela
Contribuir para o desenvolvimento da sociedade.

Download Código de Conduta do Pessoal

Manual de Boas Práticas

Com a adoção deste Código de Boas Práticas, o Centro Sudamericano SA pretende estabelecer um quadro de referência para o relacionamento entre o Cliente e nossa instituição, promovendo a transparência das informações fornecidas em relação aos produtos e serviços que fornece e estabelecendo padrões de boas práticas.

Este Código implica o compromisso de seguir as regras nele incluídas e de cumprir as obrigações contratadas em benefício do Cliente. Isso não impedirá a melhoria permanente dos níveis de transparência e qualidade dos serviços prestados pelo Centro Sudamericano S.A.

Nesse sentido, este Código será revisado e atualizado, quando necessário, a fim de promover a confiança dos clientes e reguladores. Entendemos que a incorporação deste Código contribui para os direitos dos clientes do Centro Sudamericano S.A. Continue consolidando.

O Código de Boas Práticas faz parte das políticas que regem as ações do Centro Sudamericano S.A., não tendo como objeto a revogação ou substituição das disposições contidas em outras normas internas, mas sua complementação.

Centro Sudamericano S.A. adere ao Código de Boas Práticas da Câmara de Empresas de Serviços Financeiros do Uruguai – 19 de agosto de 2014 –

Download Manual de Boas Práticas